quinta-feira, 19 de fevereiro de 2009

Saudades do dia útil

Um dia desses saí na rua e vi que as férias tinham terminado. Eu continuava de folga, vivendo um dia por vez. Mas por um estante que fui à padaria comprar pão, senti todo aquele clima de cidade em mais um dia útil. Movimento grande e até um pouco caótico de trânsito, pessoas indo e vindo, aquele típico sol de fevereiro sobre nossas cabeças, e o pensamento que passa por toda mente carioca nessas horas: praia. O dia estava perfeito para estar na praia, porém ninguém podia. Eu me desanimei em lembrar que as minhas férias estavam chegando ao fim e, logo, eu seria mais um desejando sombra e água fresca.

Voltando para casa, vendo mais e mais características de um dia útil, comecei a pensar no pessoal do colégio. Vai entender, não se passaram nem dez minutos e já esqueci todo aquele desânimo de ser mais um no Clube dos Atarefados e veio um sentimento de satisfação. Ahhh, o dia útil! – pensei. Vou ver todos os amigos, talvez conhecer gente nova, voltar para o colégio, me preocupar com provas, reclamar de ter que acordar cedo, pedir pelo amor de Deus por férias e voltar a reclamar quando chegar o domingo e perceber que não fiz nada e muito menos descansei.

Mas será que eu quero isso mesmo? Eu mesmo acabei de falar que estava satisfeito por ser mais um atarefado, porém antes me sentia bem triste por ter que ser um. É complexo demais. Nós só querermos saber de curtir, relaxar e desejar que as férias não acabem nunca. Entretanto não conseguimos ficar durante as férias sem fazer nada. Às vezes, ou quase sempre, é um grande tédio ficar à toa. Falo por mim. No final sempre me bate uma saudade daquela rotina, das provas, dos amigos, dos compromissos marcados à tarde.

Bem, eu não entendo. Só vivo assim. É maravilhoso o início de ano na escola, pelo menos para mim. Mas da mesma forma que não agüentamos ficar sem fazer nada por certo período, também não conseguimos ficar sobre a rotina estressante de um dia útil. E olha que por enquanto eu só estou estudando. Talvez eu esteja reclamando de barriga cheia (talvez?), mas na época em que eu acordava às 6 da manhã e só chegava às 6 da tarde em casa (devido ao estágio) era desgastante. Claro que tinha o lado bom de estudar e trabalhar, mas eu não desejo isso pra ninguém. Uma coisa de cada vez. Eu faço curso técnico de Informática no colégio, por isso tive que estagiar um por determinado tempo. Só de pensar que ainda faltam 200 horas para serem registrados na minha ficha e poder pegar o meu diploma no fim do ano já me deixa exausto. Com certeza cumprirei, ainda mais que esse ano é o meu último no colégio. Já tenho até um ótimo assunto para falar no próximo post.

BlogBlogs.Com.Br

7 comentários:

James disse...

Grande Vinícius, blz? Quero agradecer as belas palavras em meu blog. Agora aqui lendo o seu trabalho, entendi o porque das "belas palavras"...é que voce tem este dom, coisa que eu não tenho, hehehe! Obrigado pelo selo, parabéns e continue assim, ok! Um grande abraço!!!

Nanda Teglas disse...

uma história dramática U_U

Histórias do Arteiro disse...

Legal teu blog, gosto de coisas do cotidiano assim... Deu vontade de ir à praia...

Junior disse...

ah kra gostei do texto
parabens pelo blog
http://istosimmsica.blogspot.com/

Giu Pereira disse...

Adoorei o post ! :)
Eu odeio ficar sem fazer nada ... é tão monótono férias na cidade grande, porque todo mundo vai viajar né =/

Então, voce me pediiu o link do JC Digital e do Mário Jr. ... Eis então ! hahaha

http://blogdomariojunior.blogspot.com/
http://jcdigital.blogspot.com/

Um beeijo, e parabéns pelo blog ^^

João Paulo disse...

Interessante. Escreve bem, belo texto.


mas uma dica:o layout do seu blog nao ajuda muito para quem tem internet discada, eu quase desisti de abrir.

Anônimo disse...

gostei desse :) beijos, isabela :*