sexta-feira, 6 de março de 2009

Advogado pelo Diabo

Hoje foi um dia agradável no colégio, apesar de todo o calor que fez. Tive aula de Biologia, Espanhol e Análise de Sistemas. A que eu mais curti foi a de Biologia. Professor novo, tanto no colégio quanto na idade. Animado, comunicativo, divertido. Quem nunca teve um professor desses? Quem nunca teve, pena. Eu tive uns dois ou três. Bem, não estou aqui para comentar sobre a aula e sim para falar de uma pequena história que ele contou para a turma.

Alguém já ouviu falar no Anjo da Morte? Bem, quem já estudou a Segunda Guerra Mundial bem detalhadamente já. Para quem nunca escutou esse nome, farei um breve comentário. Josef Mengele, o Anjo da Morte, nasceu em Günzburg, na Alemanha, em 1911. Estudou medicina e filosofia na Universidade de Munique. Na Segunda Guerra, em 1942, foi condecorado por bravura militar. No ano seguinte, foi para o campo de concentração de Auschwitz como coronel-médico da SS (a tropa de elite nazista). Mandou então executar 400 mil prisioneiros, entre judeus, ciganos, gays e deficientes físicos. Os poupados da morte imediata eram enviados para o "zoológico", os barracões onde ficavam as cobaias humanas de seus experimentos. Entre eles, havia principalmente irmãos gêmeos, anões e portadores de deficiências físicas. O "anjo da morte", como foi apelidado, dissecava anões vivos a fim de provar serem fruto da excessiva miscigenação de raças, amputava pernas e braços de crianças para tentar sem sucesso regenerá-los, e jogava prisioneiros em água fervente para ver o quanto suportavam. Cruel? Aos olhos de quem ver (nesse caso ler, haha) sim, mas ele fazia tudo isso em nome da ciência. Toda a sua formação acadêmica ajudou na influencia de seus atos.

Bem, mas tudo tem seu fim. No final da guerra ele foi submetido a um julgamento. E é ai que começa meu principal objetivo de publicar este post. Contando o meu professor, no dia do julgamento o Anjo da Morte contou uma história para o juiz e para quem mais quisesse ouvir. Vou chama - la de “Advogado pelo Diabo”.

Um humilde homem possuía um cavalo, que era seu meio de transporte. Certo dia seu animal ficou doente. O homem, que dependia muito do cavalo, se preocupou. Queria que o animal ficasse bom logo. Decidiu suplicar para forças divinas Decidiu comprar uma vela e acender para Deus, pedindo que seu amigo rapidamente se recuperasse. Quando chegou ao armazém, o dono não vendia somente uma única vela. Ele trabalhava vendendo somente o par. Sem opção, o humilde homem comprou o par. Acendeu sua vela para Deus, fez seu pedido e agradeceu. Não sabia o que fazer com a outra vela. Pensou e então decidiu acender ela para quem quisesse ouvir suas preces. Certo tempo se passou e o cavalo logo voltou a relinchar como antes, mostrava-se disposto para longas caminhadas, estava bem de novo. O homem voltou com a sua rotina diária. Foi para a cidade comer alguma cosia. Entrou em um pequeno e sujo restaurante e pediu um prato do cardápio. Quando fora pagar a conta, percebeu que não tinha dinheiro suficiente. Tentou gesticular, chegar a um acordo, mas foi em vão. Ele foi preso e seria levado a julgamento por não pagar a conta. Enquanto aguardava para se apresentar na frente do juiz, um homem que ele nunca viu na vida foi visitá-lo na prisão. Identificou-se como advogado e disse que iria tirá-lo daquela situação

- Mas eu não tenho como pagar o senhor, disse o homem.
-Fique tranqüilo quanto a isso, respondeu o advogado em um tom de voz calmo.
O dia do julgamento chegou. O advogado do homem não aparecera. Estavam todos prontos para começar, só no aguardo do defensor. Quando o juiz já ia dando o caso por encerrado, já que a defesa não aparecia, o advogado entra pela porta.

- Excelência, me desculpe pelo atraso, mas é que eu estava resolvendo outro caso.
- Verdade? E sobre o que era o outro caso? – perguntou o juiz bem nervoso
- Sobre um ovo. Meu outro cliente comeu um ovo e também não pagou.
- Um ovo? Que ridículo fazerem um julgamento por causa de um simples ovo!
- E o senhor também não acha ridículo fazerem um por um mísero prato de feijão que meu cliente, em suas atuais condições, não pode pagar?
- Sim, acho. Caso encerrado! – disse o juiz – Não há porque condenar um pobre coitado por sentir fome.

Após a audiência o homem foi falar com o advogado

-Muito obrigado por sua ajuda! Não sei nem como te recompensar!
- Não se preocupe com isso, você já me recompensou.
- Mas como? Até então eu nunca o vi na minha vida.
- Lembra daquela outra vela que você acendeu? Então, fique tranqüilo. Eu já fui recompensado. Até o inferno, amigo.

Eu resumi bem a história. O professor contando foi quase uma hora inteira, das duas que ele passa com a minha turma. E todo mundo bem ligado. Por fim um amigo meu falou que é quase a mesma história do filme Advogado do Diabo. Bem, não sei, infelizmente não vi o filme. E também não conhecia essa história. Só sabia um pouco sobre o Anjo da Morte.

11 comentários:

Verdes Confissões disse...

CARACA, arrepiante!!!
Pois é, isso que dá pedir ajuda a quem não conhecemos. É um aviso. Infelizmente ele vai ter que passar pelo inferno duas vezes, porque aqui, na terra, já é um inferno. :S

Ahhh, eu já tive professores jovens.
Aliás, um amigão meu é professor de matemática
e tem apenas 25 anos. =D

Rafaela Kley disse...

Gostei dessa história e eu também não vi o filme Advogado do Diabo [pelo menos não me recordo de ter visto].
Adoro esses professores interessantes.

igor disse...

quero ver esse filmeee =D

Aleatóriamente colorido disse...

Tô retornando sua visita..
Obrigada pelo elogio!
E parabéns pelo blog!

=)

Leorama disse...

Muito bom o blog meus parabens e o texto esta bom

Wander Veroni disse...

Oi, Vinicius!

A história é muito interessante e mostra que tudo na nossa vida tem volta, tanto para o bem, quanto para o mal. Também lembrei do filme. Quem não assistiu ainda o "Advogado do Diabo", vale a pena. Abraço

Alexandre disse...

Eu quero ser um professor, diferente, fazer a diferença na profissão...
Teu post me remete a isso.

Assista o Advogado do Diabo, é um filme muito interessante com Al Paccino e Kenu Reeves.

Abração.

Livia Queiroz disse...

Gostei da historia...
Viu só?
O cara de ferrou...kkkkkkk
Assim como vc n vi o Filme Advogado do Diabo, mas ouvi dizer que é muito bom!

grupo gauche disse...

O filme!!! Que atraves desse seu post, mais pessoas possam assistir, parabens por isso

Toninho disse...

Nussss.... acender vela pra o desconhecido... além de bizarro éh desnecessário... hsuhauhsuhausa... maluca a historia...

quanto ao professor... cara, jah tive alguns professores assim... alguns naum, um monte !!!!
tantos que eu me tralmatizei um poko com eles... kkkkk... eh que o ultimo me usava pra fazer gracinha... kkkkkkkkkkkkkkkkkk

mas tah valendo...

visita o meu:
www.tonblogando.blogspot.com

Dani disse...

Putz, sinistra a história!
Aceita favor de quem nao conhece, olha no que dá!

Post muito bom!